DOENÇA DE CROHN

A Doença de Crohn é um processo inflamatório que envolve o trato intestinal.  Embora possa acometer qualquer parte do trato intestinal desde a boca até o ânus, mais comumente afeta as partes mais distais do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon e  reto). A Doença de Crohn é uma condição crônica que pode recidivar muitas vezes durante a vida.  Algumas pessoas apresentam longos períodos de remissão da doença, algumas vezes até anos, em que ficam livres de sintomas. Não há como predizer quando a remissão vai ocorrer ou quando os sintomas vão retornar.

Visão do interior do intestino
em paciente com Doença de Crohn.

Quais são os sintomas da doença de Crohn?

Como a doença pode afetar qualquer parte do intestino, os sintomas variam muito de paciente para paciente. Sintomas comuns incluem cólicas, dor abdominal, diarréia, febre, perda de peso e distensão abdominal. Nem todos os pacientes experimentam todos esses sintomas, e alguns, podem não apresentar nenhum deles.  Outros sintomas também podem incluir dor anal, lesões de pele, abscesso anal, fissuras e dor articular (artrite).

Quem pode ter a doença?

Qualquer faixa etária pode ser acometida, mas a maioria dos pacientes são adultos jovens de  16 e 40 anos. Acomete homens e mulheres de forma similar e possui predisposição familiar.  Em torno de 20% dos pacientes com Crohn apresentam um familiar com a mesma doença. A doença de Crohn e doenças similares como a  Retocolite Ulcerativa são comumente agrupadas como doenças inflamatórias intestinais.

O que causa a Doença de Crohn? 

A causa exata é desconhecida. Entretanto acredita-se que sejam causadas por alterações imunológicas (sistema de defesa do corpo) e/ou por causas infecciosas. A doença de Crohn não é contagiosa.

Como a Doença de Crohn é tratada?

O tratamento inicial consiste em medicamentos. Não existe cura para a Doença de Crohn, mas o uso de uma ou mais medicações permite o controle da doença e o alívio dos sintomas. As drogas mais comumente prescritas são os corticoides como prednisona ou metilprednisolona. Outros drogas incluem azatioprina que é um imunossupressor. Metronidazol, um antibiótico que atua no sistema imune é frequentemente útil no tratamento. Nos casos mais avançados e complicados da doença, a cirurgia pode ser necessária. A cirurgia de emergência é indicada quando as complicações como perfuração do intestino ou sangramentos volumoso estão presentes. Outras complicações menos urgentes podem incluir a formação de abscessos, formação de fístulas(comunicações anormais do intestino), doença anal ou persistência de doença ativa apesar do tratamento clínico adequado. Nem todos os pacientes com essas complicações vão precisar de cirurgia.  A decisão quanto à  cirurgia deve ser discutida com seu coloproctologista.

A cirurgia da Doença de Crohn deve ser evitada ao máximo?

É verdade que o tratamento clínico deve ser as escolha inicial, porém é importante perceber que a cirurgia será eventualmente necessária em ¾ dos pacientes com Doença de Crohn. Muitos pacientes sofreram no passado com a crença errada de que a cirurgia na Doença de Crohn é perigosa e que leva inevitavelmente  à complicações. A cirurgia não é curativa, embora muitos pacientes venham a nunca mais precisar de cirurgias adicionais. A abordagem cirúrgica conservadora é mais indicada com a ressecção de apenas parte do intestino. 

A cirurgia comumente promove alívio por longos períodos e frequentemente limita ou elimina a necessidade do uso das medicações prescritas. A cirurgia é melhor conduzida quando realizada por um médico coloproctologista.