INCONTINÊNCIA ANAL

O que é incontinência anal?

A incontinência anal refere-se a incapacidade de controlar a perda de gases ou fezes pelo anus. A gravidade do quadro varia desde uma leve dificuldade no controle de flatos até casos de perda importante de líquidos e fezes formadas.  A incontinência fecal é um problema relativamente comum, mas em geral não é discutido abertamente pelo constrangimento que pode causar.

Existem muitas causas para a incontinência. Lesões decorrentes do trabalho de parto são as mais comuns. Essas lesões podem causar pequenas lesoes nos músculos anais. O suprimento nervoso desses músculos também pode ser lesado. Enquanto algumas lesões são diagnosticadas logo após o parto, outras permanecem assintomáticas e passarão despercebidas até  tornarem-se fonte de problemas muito tempo após. 

Cirurgias anais ou trauma nos tecidos que circundam  a região anal podem lesar os músculos e danificar o controle fecal.  Em outros casos os  pacientes apresentam perda de força na região anal com o avançar da idade. Como resultado um problema mínimo em um paciente jovem pode-se tornar muito exuberante com o passar dos anos.

A diarréia pode associar-se com a sensação de urgência fecal ou perda fecal devido ao aumento da passagem de líquidos no canal anal.  Se  você apresentar sangramento junto com as fezes você deve procurar seu coloproctologista.  Esses sintomas podem indicar a presença de doença inflamatória (colite), tumores ou prolapsos. Todas essas condições requerem uma avaliação médica imediata.

Como a causa da incontinência é determinada?

 Uma conversa inicial com seu coloproctologista vai determinar o grau de incontinência anal e o impacto na vida. Muitas pistas sobre a origem da incontinência podem ser obtidas durante a entrevista médica. Por exemplo, a história obstétrica em mulheres é muito importante. Gestações múltiplas, recém nascidos grandes, uso de fórcipe durante o parto e a episiotomia podem causar lesão nervosa e  da muscular anal. Em alguns casos as doenças concomitantes do paciente e as medicações em uso tem papel esclarecedor.

O exame físico da região anal deve ser realizado.  Pode identificar como causa uma lesão dos músculos. No seguimento da investigação,  o ultrassom endoanal pode avaliar os músculos e mostrar o local exato da injúria.

Frequentemente exames adicionais são necessários para analisar a região anal mais detalhadamente. Um exame chamado de manometria anal mede a força da musculatura da região e pode demonstrar se as musculatura esta enfraquecida ou não.  Outros exames complementares para verificar se os nervos que vão para a região anal estão funcionando adequadamente também podem ser pedidos.

O que pode ser feito para corrigir o problema?

Após uma história detalhada, exame físico minuciosos e testes para determinar a causa do problema, o tratamento pode ser iniciado.  Casos leves podem ser tratados com medidas simples como alterações na dieta e uso de medicamentos constipantes.  Doenças que causam inflamação na parte final do intestino (reto) como colites, podem contribuir para o sintoma. O tratamento dessas inflamações pode eliminar o problema. Em alguns casos a mudança nos medicamentos que o paciente vem usando é valido. Em casos leves o médico também vai recomendar exercícios simples para reforço da musculatura anal. Um tipo de tratamento chamado de biofeedback  também pode ser usado.

Lesões nos músculos anais podem ser corrigidos cirurgicamente. Alguns paciente melhoram com estimulação através de corrente elétrica na região. 

Em casos extremos os pacientes podem optar pela confecção de colostomia para a melhora na qualidade de vida.