24.01.2019

Colonoscopia Intervencionista

Dr. João Cláudio Wasniewski da Proctomais de Criciúma fala a respeito das novas opções terapêuticas que o exame oferece.

A coloproctologia é a especialidade médica dedicada ao tratamento das doenças do intestino grosso (cólon), reto (parte final do intestino) e ânus. Um dos papéis importantes desta área é a prevenção do câncer de intestino, também chamado de câncer colorretal. O exame preventivo ideal chama-se colonoscopia e consiste na avaliação do interior do intestino através de um equipamento óptico, parecido com uma câmera de alta definição. Durante o procedimento é possível retirar lesões pré-cancerígenas conhecidas pelo nome de pólipos.

O coloproctologista João Cláudio Wasniewski da Proctomais de Criciúma realizou uma especialização focada na retirada endoscópica dessas lesões no Japão e nos fala melhor sobre o assunto.

"A história natural do câncer de intestino propicia condições ideais para sua detecção precoce, uma vez que a maioria evolui a partir de lesões benignas, os pólipos adenomatosos, por um período de 10 a 15 anos, existindo, portanto, um período préclínico detectável bastante longo".

Essas lesões não causam sintomas e está aí a importância da realização da colonoscopia de rotina a partir dos 45 anos mesmo em quem não possui queixas.  

É muito importante que os pólipos identificados durante a colonoscopia sejam adequadamente removidos afirma João Cláudio.

"O avançar da tecnologia médica e o treinamento adequado permitem que, lesões que antes precisavam de grandes cirurgias, sejam ressecadas de forma ambulatorial.

"Uma das principais melhorias no tratamento foi o aprimoramento da retirada das lesões planas intestinais.

As lesões planas, ou seja, praticamente sem saliência presentes nas camadas superficiais da parede do intestino, são as mais difíceis de serem detectadas e são lesões que, em geral, apresentam risco maior de câncer. Esse tipo de lesão intestinal pode crescer lateralmente, eventualmente por vários centímetros. Uma opção terapêutica para a retirada de lesões planas é a técnica ESD (dissecção endoscópica submucosa) que foi desenvolvida no Japão e se diferencia dos demais métodos pela possibilidade de ressecção extensa, em monobloco, ampli ando a s possibilidade s do tratamento endoscópico e com melhores resultados curativos.

Nos casos de lesões mais avançadas, o paciente pode apresentar sintomas como sangramento nas fezes, sangramento anal ou fezes escurecidas, perda de peso inexplicada ou não intencional e cansaço.  

Queixas digestivas como dor e distensão abdominal, dor lombar ou alteração do hábito intestinal como diarreia, constipação, fezes finas ou sensação de esvaziamento incompleto persistente devem ser levadas à serio.

Para finalizar perguntamos ao Dr. João Cláudio o que pode ser recomendado para identificar precocemente a doença ou reduzir o risco de vir a desenvolver esse tipo de câncer: "Recomenda-se que o paciente se informe a respeito de casos de câncer colorretal ou de pólipos pré-cancerígenos em familiares próximos. Pacientes com história de câncer colorretal na família devem fazer a colonoscopia com 40 anos ou 10 anos antes da idade que o familiar foi diagnosticado com a doença, o que vier antes. Se um familiar teve câncer colorretal com 45 anos, por exemplo, indica-se a realização de uma colonoscopia 10 anos antes, ou seja, com 35 anos.

Por último e não menos importante, as medidas preventivas desta doença incluem ter um estilo de vida saudável que além de reduzir o risco de doença cardíaca e diabetes tipo 2, também diminui a chance de vir a desenvolver o câncer colorretal.

A dieta recomendada inclui o consumo de muitas frutas, vegetais e fibras.

A ingestão excessiva de carne vermelha ou de carnes processadas deve ser desestimulada, já que está associada ao aumento do c ânc e r colorr e t a l. Obesidade, fumo, consumo pesado de álcool e sedentarismo também estão associados a aumento do risco. Tente manter seu peso adequado. Faça exercícios, se você fuma, pare imediatamente!" encerra Dr. João Cláudio.

O que você precisa saber sobre o assunto:

 

  • O câncer colorretal também chamado de câncer de intestino pode ser prevenido pela colonoscopia.
  • Pacientes acima de 45 anos devem realizar colonoscopia preventiva.
  • Os pólipos intestinais podem ao longo dos anos evoluir para lesões cancerígenas e por isso são retirados durante o exame.
  • Sintomas como sangramento anal e alterações do hábito intestinal devem ser investigados