24.02.2017

PREVENÇÃO DE CÂNCER DE COLORRETAL

Qual o risco de ter o Câncer de Colón? 

O câncer de cólon está entre as 5 neoplasias mais comuns na população brasileira, contando com uma elevada taxa de mortalidade. O risco de ter a doença aumenta nos casos de história familiar de pólipos intestinais (crescimentos pré-maligno) ou câncer . O risco também é alto para as pessoas com história de doença inflamatória intestinal como retocolite ulcerativa e doença de Crohn. Também tem chance aumentada de ter a doença pacientes com  história de pólipos intestinais,  câncer de colón prévio e câncer de mama, ovário,  ou de útero. 

O que é rastreamento de câncer coloretal?

Os testes de rastreamento, também chamados de testes preventivos servem para identificar pessoas sem  sintomas  e com câncer de colón ou de reto ou lesões pré-malignas. O objetivo é identificar lesões pré cancerígenas ou câncer em estágio precoce onde a cura é possível.  

Nos pacientes que já tiveram câncer de cólon ou retiraram as lesões pré-malignas realiza-se seguimento. O seguimento refere-se ao acompanhamento para evitar a recidiva da doença ou o surgimento de novos cânceres com exames de rotina. 

Porque as pessoas devem ser testadas?

O câncer colorretal é uma doença silenciosa, pois nos estágios iniciais  não causa nenhum sintoma.  Quando surgem os sintomas como sangramento, alteração do hábito intestinal e dor abdominal o câncer torna-se avançado e mais difícil de curar.  A chance de cura após o início dos sintomas é menor do que 50%.  As lesões pré cancerígenas (pólipos) podem ser curadas em 100% dos casos e os cânceres iniciais em 90% dos casos. 

Quais são os testes de rastreameneto disponíveis?

O teste de sangue oculto nas fezes é um exame de laboratório que detecta quantidade invisível de sangue nas fezes.  É um exame barato, porém não é muito fidedigno, deixando passar despercebidos muitos casos de câncer.

A sigmoidoscopia flexível  é um teste que permite ao médico olhar diretamente o interior do cólon e do reto. O exame é feito no próprio consultório do coloproctologista e  pode-se avaliar até 1/3  distal do cólon. Caso  um pólipo seja encontrado nesse exame é necessário examinar o resto do intestino com a colonoscopia.

A colonoscopia é  um exame parecido com o exame anterior,  porém permite a visualização de todo o intestino grosso. Esse exame é realizado sob sedação. É o exame mais fidedigno para a detecção de pólipos ou de tumores.  O procedimento é feito em regime ambulatorial permitindo o rápido retorno às atividades habituais.

Quando devo realizar os testes preventivos?

Para as pessoas sem nenhum fator de risco dos descritos acima, a colonoscopia deve ser iniciada aos 50 anos. A colonoscopia  é repetida a cada 10 anos nos casos em que foi possível examinar toda a extensão do intestino  e não tenha sido encontrada nenhuma alteração.

Pacientes com parentes de primeiro grau com pólipos ou câncer de colón devem iniciar o rastreio aos 40 anos ou 10 anos antes da idade em que o parente teve o câncer.